Cesta Básica sobe em 27 capitais e tem alta expressiva em Aracaju


Em junho, o custo do conjunto de alimentos básicos aumentou em 26 das 27 capitais do Brasil, de acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). As maiores altas ocorreram em Florianópolis (10,13%), Goiânia (9,40%), Aracaju (9,25%) e Porto Velho (8,15%). A única diminuição aconteceu em Manaus, -0,54%. São Paulo foi a capital que registrou o maior custo para a cesta (R$ 469,02), seguida de Porto Alegre (R$ 465,03) e Florianópolis (R$ 463,24). Os menores valores médios foram observados em Natal (R$ 352,12) e Rio Branco (R$ 358,88). Dentre as capitais do Nordeste Teresina apresentou maior valor da cesta básica (R$ 395,69) enquanto Natal apresentou menor valor (R$ 352,12).

Valor da Cesta Básica (Junho 2016)

Capital Valor da Cesta Básica (R$) Variação Mensal (%) Porcentagem do salário mínimo líquido (%)
Teresina 395,69 5,34 48,87
Fortaleza 386,78 3,11 47,77
Aracaju 376,73 9,25 46,53
São Luis 368,49 2,32 45,52
Maceió 368,19 3,08 45,48
João Pessoa 366,06 1,29 45,21
Salvador 365,77 3,29 45,18
Recife 365,79 3,39 45,18
Natal 352,12 4,33 43,49

Fonte: Dieese

 

Nordeste tem inflação abaixo do índice nacional em junho – O Nordeste apresentou crescimento de 0,32% da inflação em junho, índice inferior ao verificado em âmbito nacional no mês (0,35%). A avaliação é resultado de monitoramento periódico do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), órgão de estudos regionais do Banco do Nordeste. No acumulado dos últimos doze meses, a inflação no Nordeste registrou alta de 9,0%, nível mais elevado que o verificado em todo o Brasil (8,8%). Apesar disso, a região apresentou indicadores abaixo do nível nacional em seis dos nove grupos de preços pesquisados pelo IBGE. Fortaleza continua com a maior taxa de elevação de preços na região, chegando a 10,4%. Em seguida, aparecem Salvador, que registrou inflação de 8,8%, e Recife, com índice de 8,5%. Na avaliação mensal de junho, as três capitais mais populosas do Nordeste registraram variações equilibradas em comparação a maio: Fortaleza e Salvador, com 0,32%, e Recife, com 0,33%. “Apesar de certa resiliência do processo inflacionário nos últimos meses, espera-se que, em razão da atividade econômica, conjugada com a diluição dos efeitos da elevação dos preços administrados em 2015, resulte no arrefecimento da pressão inflacionária”, afirma o estudo.

Governo vai implantar mais três estações meteorológicas em Sergipe – Sergipe vai ganhar mais três estações de monitoramento climatológico. A boa nova foi anunciada pelo chefe do 4º Distrito de Meteorologia da Bahia, Itajacy Diniz Garrido, vinculado ao Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), que fez questão de vir a Aracaju na quinta-feira, 14, comunicar ao secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Olivier Chagas. O Estado já possui sete estações meteorológicas, localizadas nos municípios de Propriá, Aracaju, Itabaianinha, Poço Verde, Carira e Brejo Grande. Com o anúncio desse futuro acordo de cooperação, a ideia inicial é implantar os novos aparelhos, avaliados em 50 mil dólares cada um, com recursos do próprio Inmet, em Itabaiana, Gararu e Nossa Senhora da Glória, contabilizando 10 estações que fazem a cobertura climatológica. A Secretaria de Estado do Meio Ambiente fica encarregada, apenas, de escolher as áreas de interesse e realizar a manutenção periódica. Os novos aparelhos são mais modernos e funcionam em tempo real, monitorando o clima com foco na agricultura, se antecipando a mudanças repentinas do tempo, ajudando, assim, a evitar perda de safra, além de acompanhar as mudanças nas bacias hidrográficas, como explica Itajacy. O objetivo principal é ampliar a malha climatológica em Sergipe, dando uma ênfase na produção da agricultura, fazendo um prognóstico climático para que os produtores não tenham perda de safras.

MPF/SE ajuíza ação para remover ocupação irregular de área de manguezal – O Ministério Público Federal em Sergipe ajuizou ação contra a União, o Município de Aracaju, o Estado de Sergipe, a Adema, a Emurb e a Cooperativa de Pesca e Construção Naval (Navpesca), por ocupação irregular de manguezal, área de proteção permanente. Em 2005, o Estado manifestou interesse na cessão do terreno da União, situado no bairro Industrial, para que a Cooperativa Navpesca instalasse uma escola para capacitar pescadores, um estaleiro para construir e recuperar barcos, uma fábrica de gelo e câmaras frigoríficas. A cessão da área e a instalação do entreposto de pesca nunca se concretizaram e a Cooperativa vem ocupando a área irregularmente, operando uma fábrica de gelo no local. A área também foi afetada com a ocupação e construção de casas por famílias em situação de risco social, agravando os danos ambientais com o despejo continuado de esgoto doméstico e resíduos sólidos no rio Sergipe. A ação pede que a Justiça Federal condene o Município de Aracaju a realizar o cadastramento das famílias e sua inclusão em programas habitacionais, bem como pagamento de auxílio aluguel pelo Estado, União e Município àquelas famílias que se disponham a desocupar o terreno. Pede ainda a demolição de todos os imóveis e a recuperação da área degradada. Em caso de negativa da Justiça Federal em determinar que os requeridos façam a recuperação, a ação pede que eles sejam obrigados a pagar indenização e que o valor seja revertido na regeneração de manguezais em Aracaju.

Sergipe apresenta saldo negativo de empregos formais no mês de maio –  Sergipe apresentou um saldo (total de admissões menos total de desligamentos) negativo de 1.563 empregos formais no mês de maio, menor que o resultado do mesmo mês do ano anterior, quando o saldo atingiu a marca de -4.046 empregos. Entre os setores pesquisados, apenas a Administração Pública apresentou saldo positivo, três novos empregos. Os demais setores apresentaram saldos negativos. O pior resultado foi observado na Indústria da Construção, com saldo negativo de 603 empregos, a área da construção de edifícios contabilizou saldo negativo de 468 vagas, no mês de maio de 2016. O segundo maior saldo negativo de empregos foi o Comércio, que apresentou saldo negativo de 461 vagas de emprego, com destaque para o comércio varejista, que fechou o mês com 304 empregos a menos, no mês em análise. Os setores de Serviços e da Indústria de transformação, também apresentaram saldos negativos de 183 e 100 empregos, respectivamente. No acumulado do ano (janeiro até maio), Sergipe contabiliza saldo negativo de 11.482 empregos, destaques negativos para Indústria de Transformação e da Agropecuária, com redução de 5.833 e 2.356 vagas de empregos, respectivamente, em igual período. Análise do Boletim Sergipe Econômico.

São Paulo sedia encontro inédito da cadeia de abastecimento – No ano em que comemora 35 anos de existência, a Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores (ABAD) promoverá um grande encontro do Canal Indireto. O Encontro Nacional da Cadeia do Abastecimento (ENACAB) reunirá, pela primeira vez, no mesmo espaço, representantes da indústria, dos agentes de distribuição e do varejo independente. Serão três dias dedicados à geração de negócios, à capacitação e ao relacionamento. O ENACAB, que incluirá a 36ª Convenção ABAD do Canal Indireto, levará para o mesmo espaço representantes da indústria, dos agentes de distribuição e do varejo independente, focando na necessidade de alinhamento estratégico entre os diversos elos da cadeia, buscando a geração de novos negócios e o incremento da competitividade e da produtividade do setor em face do atual cenário econômico vivido pelo país. O evento, que será realizado entre os dias 8 e 10 de agosto, ocupará 10 mil m2 do São Paulo Expo Exhibition&Convention Center (antigo Centro de Exposições Imigrantes).

Sebrae disponibiliza capacitação sobre gestão financeira – Com foco na gestão financeira eficiente e eficaz como algo fundamental para o sucesso do negócio, o Sebrae disponibiliza para a classe empresarial o curso Gestão Financeira: Do Controle a Decisão. A capacitação acontecerá na sede do Sebrae, no período de 19 de junho a 25 de outubro. O objetivo da capacitação é analisar os aspectos fundamentais da gestão financeira para melhorar o processo de tomada de decisões, desenvolver na empresa uma gestão financeira eficiente e eficaz, predispor-se a investir na formação técnica e científica, ter uma atitude de reflexão em todas as ações e desenvolver competências atitudinais necessárias a um gestor de empresas. Segundo Luiz Machado, analista do Sebrae, o curso faz parte da grade de soluções educacionais do Sebrae Mais e será ministrado pelo consultor Gracindo Andrade. O treinamento possui uma carga horária de 116 horas, sendo 20h presencial (dividido em quatro encontros), 90 horas de atendimento personalizado a distância (via internet) e seis horas de consultoria individual.

Anterior Balança comercial registra superávit de US$ 23,6 bilhões no primeiro semestre
Próximo Consumidores brasileiros freiam compra por impulso

Não há comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *