Globo prepara série sobre relacionamentos em tempos de isolamento social


A quarentena trouxe para as pessoas rotinas e vivências nunca antes experimentadas. São situações nascidas neste cenário que levaram Jorge Furtado, autor de diversos programas de TV – entre os mais recentes, “Mister Brau”, “Sob Pressão” e “Todas as Mulheres do Mundo” -, a criar a série “Amor e Sorte”. Serão quatro episódios independentes, com previsão de estreia em setembro na TV Globo – três deles com direção artística de Patricia Pedrosa, que assinou também a direção artística de “Cine Holliúdy”, “Shippados” e “Todas as Mulheres do Mundo”, e outro com a direção artística de Andrucha Waddington, um dos grandes nomes do audiovisual brasileiro, à frente de filmes como “Casa de Areia” e “Sob Pressão”.

“A série tem três episódios filmados única e exclusivamente pelos nossos atores. Ninguém entra na casa deles. Deixamos a câmera, o equipamento de som, de luz, os figurinos, os materiais de arte, enfim, tudo que precisamos num set de filmagem, na porta da casa deles. Eles recebem todo esse material higienizado, montam e operam os equipamentos sozinhos, apenas com nosso direcionamento virtual. Há toda uma equipe on-line trabalhando com eles: fotógrafo, figurinista, assistentes de direção, diretores, técnicos, produtores de arte, etc. Estamos descobrindo uma nova maneira de filmar”, relata em nota a diretora, Patricia Pedrosa.

Cada episódio desta série é uma poesia diferente sobre a quarentena, e cada trama foi pensada especialmente para ser interpretada por grandes nomes da dramaturgia que passam este período juntos. Lázaro Ramos e Taís Araujo são os personagens do episódio assinado por Alexandre Machado autor de produções icônicas, como “Os Normais” e “Shippados”, no primeiro trabalho após a partida de seu grande amor e parceira de profissão, Fernanda Young. Neste episódio, ele retrata um casal confinado que, ao divergir sobre uma questão ideológica, chega a uma grande discussão matrimonial turbinada pelos nervos à flor da pele.

Luisa Arraes e Caio Blat gravam remotamente a série “Amor e Sorte”

Caio Blat e Luisa Arraes protagonizam texto deles próprios e de Jorge Furtado, que fala sobre um relacionamento que começa exatamente quando as pessoas precisam entrar em confinamento. Emilio Dantas e Fabiula Nascimento protagonizam a história de um casal que caminha para o divórcio quando o isolamento começa, com texto assinado pelas autoras Jô Abdu e Adriana Falcão, que têm em comum séries de sucesso no currículo como ‘A Grande Família’.

O quarto episódio promete surpreender o público em cenas protagonizadas por Fernanda Montenegro e Fernanda Torres, interpretando mãe e filha que precisam lidar com o isolamento e seus fantasmas do passado. O texto é de Antônio Prata – que tem tratado sobre o tema da quarentena semanalmente com seus leitores e seguidores – ao lado de Chico Mattoso, Fernanda Torres e Jorge Furtado. O episódio conta com a direção artística de Andrucha Waddington, marido de Fernanda, que conduziu as gravações ao lado dos filhos, Pedro e Joaquim e do diretor de fotografia João Faissal. A equipe contou com produção remota de arte e de figurino e foi captado presencialmente na região serrana do Rio de Janeiro, onde a família passa esse período.

No caso dos outros casais, os atores operam seus kits individuais de equipamento e são dirigidos à distância por Patricia Pedrosa. Neste momento em que as funções no “set” se misturam e se adaptam, Luisa Arraes, Caio Blat e Lázaro Ramos fazem uma dobradinha com Patrícia na direção de seus respectivos episódios, e o diretor Ricardo Spencer completa a equipe de direção no episódio de Emilio e Fabiula.

 

 

Fonte: Tela Viva

Anterior Fust: 20 anos com R$ 22,6 bilhões arrecadados, mas falhou em ampliar acesso à internet
Próximo Natura Musical investirá R$ 8,5 milhões em cultura

Não há comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *