Parceria com Votorantim leva o Cozinha Brasil para Laranjeiras


Cozinha Brasil

Cozinha BrasilSaúde e sustentabilidade também estão diretamente atreladas à alimentação, que através da prática do aproveitamento integral dos alimentos pode auxiliar na redução de desperdícios e garantir refeições mais saudáveis. Impulsionar na população tal mudança de hábito é o objetivo da parceria entre o Serviço Social da Indústria –SESI e o Grupo Votorantim Cimentos, uma empresa pioneira no segmento, que atua desde 1933, sendo hoje uma das maiores organizações na indústria de materiais de construção do mundo.

Através desta união, o programa Cozinha Brasil chegou ao povoado Machado, localizado no entorno da sede do grupo Votorantim, no município de Laranjeiras. A ação foi iniciada na tarde do dia 29 de novembro, na Associação de Moradores do local, e finalizará hoje, dia 1º. A população foi agraciada com o curso voltado para a temática da alimentação saudável e Aproveitamento Integral dos alimentos, tendo como princípio fundamental o consumo consciente.

De acordo com a nutricionista e instrutora do programa, Raisa Conceição, “ o desperdício de alimentos aqui no país e no mundo é imenso, inclusive o que desperdiçamos hoje daria para alimentar grande parte da população que não tem acesso adequado a alimentação de qualidade. Nosso intuito é contribuir com a minimização desse desperdício, melhorando o valor nutricional ao utilizarmos partes que comumente são jogadas fora, para que a população realmente aprenda e coloque em prática”, explica.

A analista de responsabilidade social da Votorantim Cimentos, Sabrina Oliveira, avalia a parceria como algo positivo. “Temos dentro do município de Laranjeiras uma estratégia de atuação social com as comunidades e essa parceria veio para fortalecer e qualificar ainda mais nossa atuação através dos cursos/oficinas disponibilizados pelo Programa, que para as famílias no geral é de bastante relevância, pois proporciona uma melhor utilização dos alimentos, além de ser uma opção de geração de renda para aqueles que tenham interesse em comercializar os produtos feitos a partir das recitas ensinadas”, afirma.

Como reaproveitar e os benefícios que promove à saúde

Cozinha Brasil Não é algo habitual nas cozinhas brasileiras a população ir além do uso das polpas das frutas e verduras, ficando as cascas, entrecascas, sementes, raízes, ramas e talos geralmente considerados como lixo. A também nutricionista e instrutora do Programa Cozinha Brasil, Daiana Fernandes, alerta que muitos desses materiais descartados são fontes de vitaminas e fibras de suma importância para o organismo humano.

Ela explica de que forma podemos utilizar aquilo que normalmente é jogado fora, mas que pode se tornar o alimento principal das nossas mesas. A casca do abacaxi, por exemplo, pode ser útil no preparo de sucos, assim como os resíduos que ficam na peneira são utilizados na produção de geleias, sendo os produtos finais importantes para quem sofre de problemas intestinais, pois possuem mais gramas de fibras do que uma barra de cereal.

A especialista acrescenta que outra fonte importante de saúde está presente nas cascas da banana, “ensinamos aos alunos a fazerem bolo com as cascas, que contém mais vitaminas minerais, como o potássio, do que a própria polpa. Da melancia são aproveitadas a casca, na preparação de sucos, que atua no organismo como vermífugos; a entrecasca no preparo de carnes e a polpa, que é utilizada como base na preparação de molhos para os alimentos salgados. Da mesma forma ocorre com a abóbora, que é aproveitada em sua totalidade, além de ser rica em vitamina A, é importante para a visão e saúde da pele”, informa.

O que é o Programa Cozinha Brasil

Trata-se de um programa de educação alimentar que há dez anos já percorreu cerca de dois mil municípios do país, com um total de mais de um milhão de participantes. Foi uma iniciativa originada a partir do Programa Alimente-se Bem, do SESI de São Paulo, que verificou inicialmente a necessidade da promoção de bons hábitos alimentares para os trabalhadores da Indústria pensando em contribuir com a redução do absenteísmo por doenças como hipertensão, diabetes, além de conferir uma melhoria no bem-estar e da concentração nas atividades.

Daiana ainda acrescenta que a repercussão do programa entre os trabalhadores contribuiu para que ele se estendesse para a comunidade, em parcerias com prefeituras, associações de moradores, entidades filantrópicas, dentre outras. As receitas ensinadas no Cozinha Brasil, que fazem parte dos livros distribuídos para os alunos, respeitam os aspectos regionais e culturais de cada localidade, além de serem criativas, por priorizarem a utilização do que normalmente não é utilizado.

Os produtos do Cozinha Brasil são divididos em cursos de Educação Alimentar para adultos a partir dos 16 anos e infantojuvenil na faixa etária de 4 a 15; cursos voltados para Doenças Crônicas Não Transmissíveis, nos módulos: hipertensão, diabetes, obesidade e colesterol alto; Oficinas Culinárias (Verão, Natalina e Inverno), além de palestras com temáticas relacionadas à alimentação e saúde.

O curso possui um valor mensal irrisório e uma carga horária de 10h, divididos em três dias e todos os participantes têm direito a certificado e livros com as receitas do programa. As inscrições estão abertas para o público e o início será mediante a formação de turmas.

Efeitos econômicos do desperdício de alimentos

De acordo com o economista e superintendente do Instituto Euvaldo Lodi, Rodrigo Rocha, o desperdício nos vários segmentos da sociedade é um problema que deve ser combatido com vigor, principalmente em se tratando de alimentos, pensando na atual conjuntura em que se encontra o país.

O economista avalia que “programas como o Cozinha Brasil, que ensinam as famílias a terem um melhor aproveitamento de todos os alimentos, são de extrema importância, pois uma família que consome de forma mais eficiente, gasta menos no momento das compras, podendo utilizar essa economia financeira no consumo de outros bens e serviços, que, no final das contas, estimulará o crescimento econômico, tão importante para a geração de emprego e renda para a população”, explica.

Ele ainda acrescenta que, sob a perspectiva das empresas, o impacto do desperdício pode ser tanto social, quanto ambiental, pois provoca um aumento dos custos finais de sua produção, reduzindo sua competitividade diante de concorrentes mais preparados. “Por isso as empresas precisam sempre buscar inovar em seus processos, de forma a gerenciar todas as etapas de produção, encontrando os possíveis pontos de desperdício e, assim, poder analisar se é possível implementar alguma mudança que solucione tal problema, gerando melhores resultado” finaliza.

Unicom Fies

Anterior Consórcio com gliricídia dobra produtividade de milho
Próximo Receita envia cartas a profissionais liberais que não recolheram previdência

Não há comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *