Produção da indústria do Nordeste sobe em junho mas ainda não recuperou a perda anual.


Thiago Oliveira e Ricardo Lacerda

O acréscimo no ritmo da produção industrial nacional na passagem de abril para maio de 2017, série com ajuste sazonal, foi acompanhado por dez dos 14 locais pesquisados. Os maiores avanços registrados no Brasil forma nos estados do Ceará (5,9%) e Bahia (3,6%). Pará (3,1%), Rio Grande do Sul (2,5%), São Paulo (2,5%), Santa Catarina (1,4%), Paraná (1,4%), Região Nordeste (1,3%), Goiás (0,8%) e Pernambuco (0,1%) completaram o conjunto de locais com aumento na produção nesse mês.

Indicadores Conjunturais da Indústria Maio de 2017

  Mai. 2017/ Abr. 2017* Mai. 2017/ Mai. 2016 Acum. Jan/Mai. Acum. 12 meses
Brasil 0,8 4 0,5 -2,4
Nordeste 1,3 1,4 -1,6 -2,2
     Ceará 5,9 7,4 -0,2 -2
     Pernambuco 0,1 -3,2 1,3 -0,9
     Bahia 3,6 -1 -6,6 -8,2

Fonte: IBGE/

*Série com ajuste sazonal.

Cinco mil empregos na bacia leiteira em Piracuruca (PI) – Investidores da cidade de Piracuruca apresentaram ao governador do Piauí o projeto de criação da Divino Leite. O projeto prevê um investimento de R$ 40 milhões, englobando despesas com estudos, construção civil, aquisição de equipamentos e capital de giro. A fábrica pretende processar 48 mil litros de leite por dia, produzindo leite UHT (caixa) e achocolatado líquido. Em pleno funcionamento, o negócio pode gerar até 5 mil empregos. A indústria ficará no município de São José do Divino, às margens da BR-343. Pelo cronograma, a construção inicia no próximo mês de setembro. A inauguração está prevista para agosto de 2018.

O IPCA também cai nas regiões metropolitanas do Nordeste. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de junho teve queda (-0,23%) e ficou bem abaixo dos 0,31% de maio – Com isso, o primeiro semestre do ano fechou em 1,18%, bem menos do que os 4,42% registrados em igual período do ano passado. Considerando-se os primeiros semestres do ano, é o resultado mais baixo da série. Em relação aos últimos doze meses, o índice foi para 3,00%, abaixo dos 3,60% relativos aos doze meses imediatamente anteriores. Em junho, os três grupos de produtos e serviços que, juntos, concentram cerca de 60% das despesas domésticas – alimentação (-0,50%), habitação (-0,77%) e transporte (-0,52%) – foram os que apresentaram as quedas mais intensas.

Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo

Região Var. Mensal (%) Junho Var. Acumulada no ano (%) Var. Acumulada 12 meses (%)
Brasil -0,23 1,18 3,00
RM Fortaleza -0,25 1,50 4,31
RM Recife -0,09 2,26 4,75
RM Salvador -0,08 1,30 3,13

Fonte: IBGE

Milho que retoma com força no Nordeste – O IBGE publica, mensalmente, a estimativa de safra para o ano corrente. A estimativa de junho de 2017 para a safra regional de cereais, leguminosas e oleaginosas chegou a 18,1 milhões de toneladas, com alta de 90,1% em relação à obtida em 2016 (9,5 milhões de toneladas), um aumento de 8,6 milhões de toneladas. Cana-de-açúcar, soja e mandioca continuam sendo as principais culturas da região. Contudo, os principais crescimentos foram registrados nas culturas do Milho (2ª Safra), Feijão (1ª e 2ª Safras) e Sorgo, todos com crescimento acima de 100%.

 Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (Produção – em toneladas)

Produto Safra 2016 Safra 2017 Variação (%)
Cana-de-açúcar 54.769.224 55.344.210 1
Soja 5.100.185 9.753.399 91,2
Mandioca 4.745.897 4.876.673 2,8
Milho (1ª Safra) 2.546.636 4.313.119 69,4
Banana 2.291.720 2.319.868 1,2
Milho (2ª Safra) 577.738 2.063.427 257,2
Laranja 1.600.538 1.749.978 9,3
Coco-da-baía (mil frutos) 1.335.548 1.327.584 -0,6
Algodão herbáceo 870.617 914.505 5
Abacaxi (mil frutos) 567.500 625.479 10,2
Tomate 378.445 567.565 50
Arroz 269.139 458.836 70,5
Feijão (1ª Safra) 185.387 424.177 128,8
Cebola 288.446 365.961 26,9
Feijão (2ª Safra) 140.891 302.836 114,9
Uva 309.343 284.656 -8
Sorgo 112.337 255.638 127,6
Café arábica 89.841 120.536 34,2
Sisal ou agave 132.517 112.820 -14,9
Cacau 116.122 105.022 -9,6
Castanha-de-caju 75.959 103.929 36,8
Batata – inglesa (1ª Safra) 104.174 100.800 -3,2

Fonte: LSPA/IBGE

Sistema Fecomércio destina R$ 100 milhões para hotel do Sesc em Aver-o-mar – A Praia de Aver-o-mar, em Sirinhaém, Litoral Sul de Pernambuco, receberá um centro de conservação ambiental e um hotel com 216 leitos em um investimento de R$ 100 milhões do Sistema Fecomércio (Sesc e Senac). A licitação para as construções será aberta nas próximas semanas e o hotel será integrado ao Sistema Social do Comércio (Sesc), que já possui dois hotéis no estado, um em Triunfo e outro em Garanhuns. Até dezembro, o Sistema Fecomércio também planeja investir mais R$ 40 milhões em Pernambuco, desta vez para iniciar a construção de um pavilhão de feiras ao lado do Centro de Convenções do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) de Caruaru. O terreno está em negociação e deverá ser cedido pela prefeitura do município.

 

Anterior Última Parte: A perda de competitividade da economia brasileira
Próximo Há 53 anos, um comício definiu a história do Brasil

Não há comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *